“Mr. Angel”

                              image

  • Ano de lançamento: 2013
  • País: Estados Unidos
  • Língua: Inglês
  • Título Original: Mr. Angel
  • Diretor: Dan Hunt
  • Avaliação: Pra parar e refletir

Fui ao cinema com a intenção de assistir ao novo filme da diretora francesa Claire Denis, Bastardos, mas acabei não conseguindo um lugar na única sessão da noite. Sem querer desperdiçar a chance de assistir a algo do Festival acabei comprando ingresso pra outra sessão da noite “Mr. Angel”. 

Entrei na sala sem saber o que esperar, e qual foi minha surpresa quando as primeiras cenas eram de filmes pornô? Descobri então que o filme se tratava de um documentário sobre a história da estrela pornô Buck Angel. Um transexual com aparência totalmente masculina, mas que manteve a genitália feminina, conhecido na indústria adulta como “o homem com uma vagina”.

O documentário aborda a trajetória de Buck até os dias atuais, passando pelos conflitos internos, a descoberta da sexualidade, o envolvimento com drogas e a relação com a família, o esteriótipo americano de tradicionalidade. 

O filme vai de extremo a extremo ao mostrar feiras eróticas, filmes pornográficos e transexuais ao mesmo tempo em que comove o espectador com as entrevistas feitas com a família de Buck e os relatos do ator sobre sua vida antes do tratamento hormonal e mastectomia. 

É um documentário feito para quebrar os estigmas acerca da sexualidade e fazer o espectador refletir sobre os tabus da sociedade e como a questão de gênero vem mudando na atualidade. 

“Os Amigos”

                            image

  • Ano de lançamento: 2013
  • País: Brasil
  • Língua: Português
  • Título Original: Os Amigos
  • Diretora: Lina Chamie
  • Avaliação: Qual era mesmo?

Assistir ao filme Os Amigos durante a mostra Premiére Brasil do Festival do Rio

O filme conta a história de Téo (Marco Ricca) um homem que passa por uma fase difícil na vida, atenuada pela perda recente de seu melhor amigo de infância. A trama é simples e o filme ganha forma em cima das reflexões e diálogos sobre a vida em si. 

O título do filme é explorado pelas relações de Téo com Juliano, seu amigo de infância que falecera, e Majú (Dira Paes), sua melhor amiga, divorciada e mãe de dois filhos. 

Alguns dos melhores momentos do filme ficam por conta do elenco mirim. A visão das crianças sobre assuntos como família, animais e super-heróis é divertida e agrega um bom ponto de vista ao roteiro. 

O filme foi exibido durante o Festival de Gramado 2013, e tem previsão de entrada nas salas de cinema brasileiras no início de 2014. 

“Os Lobos Maus”

                              image

  • Ano de lançamento: 2013
  • País: Israel
  • Língua: Hebraico 
  • Título Original: Mi Mefahed Mezeev Hara (Big Bad Wolves)
  • Diretores: Ahaon Keshales e Navot Papushado
  • Avaliação: A zebra

 Big Bad Wolves é o primeiro filme que eu assisti no Festival do Rio. 

O filme israelense dos diretores Keshales e Papushado não pode ser considerado um thriller policial, mas sim uma proposta de horror movie. A trama segue a história de um pai que teve a filha torturada e assassinada por um pedófilo que vinha cometendo crimes em série na cidade. O detetive responsável pelo caso e o suspeito do crime se reúnem ao pai e formam o trio de protagonistas do filme. 

Com a certeza de que o homem encontrado pela polícia é de fato o responsável pelos crimes, o detetive designado ao caso acaba por agredir o suspeito e transgredir as normas da corporação. Sem conseguir se desapegar do caso, resolve agir por contra própria a fim de condenar o suspeito pelo crime. Mal sabia ele que o pai de uma das meninas assassinadas também tinha intenções de punir o assassino de sua filha. 

Com uma bela trilha sonora e pitadas de humor nas horas certas, o filme cumpre sua missão de entreter o espectador durante pouco menos de duas horas.

O filme concorreu em onze categorias na Israeli Film Academy incluindo melhor diretor, melhor ator (para Tzahi Grad) e melhor roteiro.